O Edifício-Monumento está fechado para obras de restauro e modernização

Seminário Internacional Museu Paulista e as memórias das narrativas de Aimé-Adrien Taunay e Hercule Florence

 

 

663 Museu Paulista: sala consagrada à iconografia antiga de São Paulo, c.1922. Fundo Museu Paulista. Reprodução: Helio Nobre; José R

 

Seminário Internacional

Museu Paulista e as memórias das narrativas de Aimé-Adrien Taunay e Hercule Florence

 

O Seminário marca o lançamento do site O caderno de Aimé-Adrien Taunay: histórias, descobertas e percursos e a divulgação de estudos sobre Taunay e Hercule Florence desenvolvidos em parceria entre o Museu Paulista da Universidade de São Paulo e o Instituto Hercule Florence.

 

No período da manhã, as atividades estarão concentradas nas investigações em torno de Aimé-Adrien Taunay (1803-1828), desde a conferência de abertura até a mesa que apresentará as contribuições das diferentes áreas de conhecimento para a realização da pesquisa, do restauro, da digitalização, da transcrição e da disponibilização do documento O caderno de Aimé-Adrien Taunay.

664 Adrien van Emelen (1868-1943). Cena do Porto de Santos, 1826, [entre 1921 e 1922]. Óleo sobre algodão, 54 x 71,1 cm. Fundo Museu

No período da tarde, as apresentações estarão concentradas em Hercule Florence (1804-1879): na primeira sessão, discutindo a ampliação do conhecimento a respeito do artista-inventor e como as diferentes facetas de sua diversificada produção têm sido mobilizadas, sobretudo a partir da segunda metade do século XX até os dias atuais. Na segunda, os trabalhos têm como ponto de partida as encomendas de pinturas para diversos artistas por Afonso Taunay para o Museu Paulista utilizando como matriz desenhos e aquarelas de Hercule Florence e como tais trabalhos foram apropriados tanto nas salas do Museu como em outros suportes. Por fim, na conferência de encerramento, se discorrerá sobre as representações visuais de Hercule Florence d’après nature (do natural).

 

O evento contará com interprete em Libras.

 

As inscrições online em <https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfG85Lps0MmizrvZRE9rmh7f74DtBP515FyGBJmY7Kev6s3PA/viewform>

 

Programação - 27 de novembro de 2019

 

9h30 – Credenciamento

 

10h às 10h30 - Abertura: Solange Ferraz de Lima (MP USP), Antonio Francisco Florence (IHF), representante Sesc

  

10h30 às 11h30 - Conferência de abertura: Maria de Fátima Gomes Costa (UFMT)

 

11h30 às 12h30 - Mesa 1 - O caderno de Aimé-Adrien Taunay: histórias, descobertas e percursos: Cecília Helena Lorenzini de Salles Oliveira (MP USP), Francis Melvin Lee (IHF), Ina Hergert (MP USP), Isabela Ribeiro Arruda (MP USP) e João Carlos Cândido Libardi Santos (MP USP) 

 

12h30 às 14h - Almoço

  

14h às 15h30 - Mesa 2 - Hercule Florence em perspectiva: Íris Kantor (FFLCH USP) e Iara Lis Franco Schiavinatto (IA Unicamp/ MP USP)

 

15h30 às 16h - Coffee break

Apresentação dos pôsteres dos bolsistas Codage

 

16h às 17h30 - Mesa 3 -  Trajetórias e formas de apropriação de imagens de Hercule Florence: Maria Aparecida de Menezes Borrego (MP USP), Ana Paula Nascimento (MP USP) e Jean Gomes de Souza (FFLCH USP)

 

17h30 às 18h30 - Conferência de encerramento: Jacques Leenhardt (EHESS/ Paris)

 

 

Organização: 

Solange Ferraz de Lima, Maria Aparecida de Menezes Borrego e Ana Paula Nascimento 

Realização:

Museu Paulista da Universidade de São Paulo

 

Parcerias: 

Instituto Hercule Florence

Sesc 

 

Serviço:

Data: 27 de novembro de 2019

Horário: das 9h30 às 18h30

Local: Teatro do Sesc Ipiranga 

Endereço: Rua Bom Pastor, 822 - Ipiranga

 

 

Mini biografias dos participantes

 

Ana Paula Nascimento

Pesquisadora colaboradora do Museu Paulista da Universidade de São Paulo (MP USP) junto ao projeto “Hercule Florence: patriarca da iconografia paulista”. Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP); mestrado, doutorado e pós-doutorado também pela FAU USP. Tem experiência nas áreas de História da Arte e História da Arquitetura, com ênfase nos seguintes temas: Arte Brasileira, Patrimônio e História da Arquitetura Brasileira (século XIX e primeira metade do século XX), criação dos museus na cidade de São Paulo e configuração de seus acervos.

 

Antonio Francisco Alvares Florence

Advogado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FD USP), com pós-graduação em Direito Tributário pela FD USP e especialização em Direito Tributário Internacional pela Universidade Ludwig-Maximilian, Munique, Alemanha. Sócio proprietário do escritório Florence Advogados. Em 2007 fundou o Instituto Hercule Florence (IHF), instituição dedicada à pesquisa, organização, preservação e divulgação de documentos históricos sobre o Brasil do século XIX, principalmente aqueles relacionados com as missões artísticas e científicas, como a Expedição Langsdorff (1825-1829), destacando a produção artística e intelectual de Hercule Florence (1804-1879). Atualmente é Presidente do Conselho Administrativo do IHF.

 

Cecilia Helena Lorenzini de Salles Oliveira

Possui graduação em História pela Universidade de São Paulo, mestrado e doutorado em História Social pela USP. Atualmente é professora titular sênior no Museu Paulista da Universidade de São Paulo (MP USP) e professora do Programa de Pós-Graduação em História Social da USP. Entre 2008 e 2012 ocupou a Direção do Museu Paulista. Desde 2012, integra o corpo docente do Programa de Pós-Graduação Interunidades em Museologia da USP. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, investigando principalmente os seguintes temas: relações entre história e memória, história política, Independência, história do Império, escrita da história em museus e história dos museus nacionais.

 

Francis Melvin Lee

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU USP) e mestre em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH USP). Atua na área de Museologia e Catalogação, com ênfase em Arte Brasileira do século XIX. Desde 2011 é Superintendente do Instituto Hercule Florence (IHF), instituição cultural voltada à coleta e disponibilização de fontes sobre os artistas viajantes do século XIX, principalmente sobre a Expedição Langsdorff (1824-1829) e Hercule Florence (1804-1879).

 

Iara Lis Franco Schiavinatto

Professora Associada da Universidade de Campinas (Unicamp). Graduada em História pela Unicamp, mestre em Multimeios e doutora em História pela Unicamp. É professora plena dos programas de Pós-graduação em História e em Artes Visuais da Unicamp. Suas ênfases de pesquisa residem em Cultura Visual, Cultura Política, Cultura das Mídias, História Intelectual, Patrimônio. Realizou estágios de pesquisa em acervos e museus em Portugal, Espanha, França e EUA. Encontra-se em estágio sabático de pesquisa desenvolvendo projeto, como pesquisadora colaboradora, junto ao Museu Paulista da USP.

 

Ina Hergert

Graduada em Educação Artística pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), com especialização em Preservação de Documentos e Obras de Arte em papel pelo Núcleo de Conservação e Restauro da Escola do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Desde 2010 é especialista em conservação e restauro do Museu Paulista da Universidade de São Paulo (MP USP). Atualmente desenvolve pesquisa e realiza projetos na área de conservação e restauro, assim como elabora e ministra oficinas de preservação para documentos com suporte em papel.

 

Íris Kantor

Graduada em História pela Universidade de São Paulo. Mestre e doutora em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH USP). Editora da Revista História da USP. Coordenadora do Laboratório de Estudos de Cartografia Histórica da Cátedra Jaime Cortesão e do Labieb (USP). Membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), participa do conselho acadêmico da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin e integra o grupo de pesquisa cadastrado no CNPq "Ciência, império e viagens”.

 

Isabela Ribeiro de Arruda

Graduada em História pela Universidade de São Paulo, com especialização em Gestão de Projetos Culturais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA USP) e Gestão Cultural pelo Centro de Pesquisa e Formação do Sesc. Atualmente é Supervisora do Serviço de Atividades Educativas do Museu Paulista da USP. Tem experiência na área de História.

 

Jacques Leenhardt

Possui graduação em Filosofia pela Université de Genève; graduação em Sociologia pela Université Paris-Sorbonne e doutorado em Sociologia pela Université de Paris X, Nanterre. Atualmente é diretor de estudos da École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS). Presidente de honra da Associação Internacional de Críticos de Arte (AICA), Diretor do E.F.I.S.A.L./CRAL e Presidente do Conselho Científico dos Arquivos da Crítica de Arte. Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Literatura; em paisagismo e exposições de arte. Trabalha principalmente nos seguintes temas: literatura, história, arte, urbano, leitura, narrativa e América Latina.

 

Jean Gomes de Souza

Bacharel em História e mestrando em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH USP). Realizou iniciação científica em edição crítica de manuscritos coloniais junto ao Departamento de História da FFLCH USP; foi voluntário do Núcleo de Documentação do Museu Afro Brasil e, entre, 2016 e 2018 integrou diferentes projetos de pesquisa no Departamento de Acervo e Curadoria do Museu Paulista da Universidade de São Paulo (MP USP).

 

João Carlos Cândido S. L. Santos

Graduado em História pela Universidade de São Paulo. Graduando em Ciências Biológicas pela Universidade de São Paulo (USP). Atuou em acervos e arquivos públicos e privados. É bolsista Codage do Museu Paulista (MP USP) em projeto sobre a descrição dos usos da natureza em relatos de viajantes dos séculos XVIII e XIX. Atua na catalogação da Coleção Ivani e Jorge Yunes, São Paulo (CIJY).

 

Maria Aparecida de Menezes Borrego

Mestre e doutora em História Social pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH USP). Pós-doutorado em História Social pelo Museu Paulista da Universidade de São Paulo (MP USP). Atua como docente do Departamento de Acervo e Curadoria do Museu Paulista USP e do Programa de Pós-graduação em História Social da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas USP. Supervisora técnico-científica do Museu Republicano "Convenção de Itu" e co-editora do periódico Anais do Museu Paulista. História e Cultura Material. Atua nas seguintes áreas: São Paulo, comércio, sociedade, espaço doméstico, viagens fluviais, cultura material, museu, América Portuguesa, império.

 

Maria de Fátima Gomes Costa

Professora Associada da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e coordenadora do Grupo de Pesquisa "História, Arte, Ciência e Poder" (Hisarcipo). Como pesquisadora vem realizando estudos interdisciplinares sobre História do Brasil e História da América Meridional, centrados em temas como: Viagens e Viajantes; Expedições Científicas e de Demarcação de Limites; Artistas-viajantes; História Indígena; Cartografia Histórica e Documentação Histórica. Tem artigos e livros publicados sobre estas temáticas.

 

Solange Ferraz de Lima

Possui graduação em História pela Universidade de São Paulo, mestrado e doutorado em História Social pela USP. Livre-docente pelo Museu Paulista da USP (MP USP). Atualmente é diretora e docente do Museu Paulista da USP. Tem experiência na área de História, com ênfase em Cultura Material e em Cultura Visual. Sua produção acadêmica resulta da pesquisa e curadoria de acervos, principalmente nos seguintes temas: cultura visual, cultura material, fotografia, ornamentação, cidades, coleções, curadoria e museus.

 

Museu Paulista: sala consagrada à iconografia antiga de São Paulo, c.1922. Fundo
José Wasth Rodrigues (1891-1957). Casas velhas de Santos, 1826, 1922. Óleo sobre
Oscar Pereira da Silva (1867-1939). Carga de canoas, 1920. Óleo sobre tela, 100
Adrien van Emelen (1868-1943). Cena do Porto de Santos, 1826, [entre 1921 e 1922